Arquivo mensal: maio 2014

Disciplina pela UFRJ é oferecida aos discentes do PPGENFBIO

O Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Rio de Janeiro, abre inscrição para  Disciplina “Bioética, Biossegurança e Boas Práticas com Animais em Experimentação” aos alunos do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Biociências da UNIRIO. O número de vagas para alunos externos é limitado, portanto, será obedecida a ordem de inscrição segundo a capacidade do auditório.

 Carga horária: 30 horas (2 créditos) 
Período: 14 a 25/07/2014 
Horário: das 9 às 12 h
Local: UFRJ, Ilha do Fundão, Centro de Ciências da Saúde, Anfiteatro Paulo Rocco (Quinhentão) (bloco K, subsolo)
Link para inscrição: https://docs.google.com/a/ccsdecania.ufrj.br/forms/d/1lzgWCedkVEZQ0cS7R8wtiOynR9WgA2hOKzyXcoyYCSU/viewform

 Qualquer informação adicional, favor entrar em contato com a coordenação da disciplina no email: bmm734.ccs@gmail.com

Clique e veja Programa 2014_disciplina_ Bioetica Biosseguranca e Boas Praticas com Animais em Experimentacao

UNIRIO passa a integrar a Rede Brasileira de Avaliação de Tecnologias em Saúde

A UNIRIO acaba de ser indicada como membro integrante da Rede Brasileira de Avaliação de Tecnologias em Saúde (Rebrats). Criada em 2011, a rede reúne instituições atuantes no campo da avaliação de tecnologias em saúde (ATS), que permite verificar a segurança, eficácia e impactos de produtos como medicamentos, dispositivos e próteses, de novas cirurgias e exames diagnósticos ou de modelos de unidade assistencial.

A participação da UNIRIO na Rebrats será por meio do Laboratório de Avaliação Econômica e de Tecnologias em Saúde (Laets), da Escola de Enfermagem Alfredo Pinto. A unidade desenvolve pesquisas relacionadas à fadiga de alarmes – fenômeno que aponta a redução da eficácia de dispositivos eletrônicos utilizados em unidades de saúde para monitorar os pacientes e alertar em casos de emergência.

Em 2013, o laboratório foi contemplado pelo CNPq com recursos para financiamento do projeto “Tempo Estímulo-Resposta aos Alarmes em Unidades de Cuidados Intensivos: Um Estudo sobre a Obsolescência Tecnológica de Sistemas de Salvaguarda de Monitores Multiparamétricos em Terapia Intensiva”, coordenado por Roberto Carlos Lyra da Silva, professor do Departamento de Enfermagem Fundamental e coordenador do Doutorado em Enfermagem e Biociências da UNIRIO.

“O desenvolvimento desse estudo, pioneiro no Brasil, impulsionou a candidatura para integrarmos a Rebrats. A rede conta hoje com 12 núcleos no Rio de Janeiro, e o nosso laboratório inaugura a participação da UNIRIO nesse importante grupo de instituições de pesquisa”, explica Lyra.

Além das atividades de pesquisa, o Laets desenvolveu um projeto de extensão universitária, voltado para o treinamento de profissionais de saúde que atuam em unidades de cuidados intensivos e de alta complexidade. O início das atividades, com a oferta de cursos, palestras e workshops, está previsto para o segundo semestre de 2014.

 Fontes:

UNIRIO:http://www.unirio.br/news/unirio-passa-a-integrar-a-rede-brasileira-de-avaliacao-de-tecnologias-em-saude

ANDIFES: http://www.andifes.org.br/?p=26345

 

Doutoranda do PPGENFBIO publica artigo na AMIB

A Doutoranda Adriana Carla Bridi, orientada pelo Prof. Dr. Roberto Carlos Lyra da Silva do PPGENFBIO publicam artigo sobre alarmes de monitorização na terapia intensiva, em parceria com as autoras Carolina Correa Pinto de Farias, Andrezza Serpa Franco, Viviane de Lima Quintas dos Santos no sítio eletrônico da AMIB.
Tempo estímulo-resposta da equipe de saúde aos alarmes de monitorização na terapia intensiva: implicações para a segurança do paciente grave

Resumo – OBJETIVO: Definir as características e mensurar o tempo estímulo-resposta da equipe de saúde aos alarmes de monitorização na terapia intensiva.MÉTODOS: Estudo de abordagem quantitativa, observacional, descritivo, desenvolvido na unidade coronariana de um hospital público de cardiologia no Rio de Janeiro (RJ). Os dados foram extraídos de informações referentes aos pacientes, monitorização utilizada e da medição do tempo estímulo-resposta da equipe aos alarmes dos monitores multiparamétricos por observação de campo não participativa. RESULTADOS: Acompanhamos 88 pacientes (49 no serviço diurno e 39 no serviço noturno). O número total de alarmes de monitorização foi de 227 nas 40 horas de observação (20 horas no serviço diurno e 20 horas no serviço noturno), 106 alarmes no serviço diurno e 121 no serviço noturno, numa média de 5,7 alarmes/hora. Foram observados 145 alarmes sem resposta da equipe, 68 (64,15%) alarmes no serviço diurno e 77 (63,64%) no serviço noturno. Demonstramos que mais de 60% dos alarmes excederam o tempo-resposta de 10 minutos, considerados alarmes sem resposta. Obtivemos uma mediana de temporesposta dos alarmes atendidos de 4 minutos e 54 segundos no serviço diurno e 4 minutos e 55 segundos no serviço noturno. A monitorização da respiração encontrava-se ativada em apenas 9 pacientes (23,07%) no serviço noturno. Em relação à habilitação dos alarmes dessas variáveis, o alarme de arritmia estava habilitado em somente 10 (20,40%) dos pacientes no serviço diurno e o alarme da respiração em 4 pacientes (44,44%) no serviço noturno. CONCLUSÃO: A programação e configuração de variáveis fisiológicas monitorizadas e parâmetros de alarmes na unidade foram inadequadas, houve retardo no tempo resposta e falta de resposta aos alarmes, sugerindo que alarmes relevantes podem ter sido ignorados pela equipe, comprometendo assim a segurança dos pacientes.Palavras-chave: Terapia intensiva/normas; Monitorização fisiológica/instrumentação; Alarmes clínicos; Segurança do paciente; Falha de equipamento; Unidades de terapia intensiva. Clique aqui para ler o artigo na íntegra.

Fonte: http://www.amib.org.br/

Presidente da FAPERJ no PPGENFBIO/UNIRIO

Nesta quinta-feira (8/5/2014), mesmo diante da greve dos transportes públicos, esteve presente nas dependências da UNIRIO, o Prof. Dr. Ruy Garcia Marques que proferiu palestra, intitulada “O fomento à ciência e tecnologia no Estado do Rio de Janeiro e a enfermagem como área de Conhecimento” para os docentes e pós-graduandos do PPGENFBIO e PPGENF da Escola de Enfermagem Alfredo Pinto.

Em sua fala, ele sinalizou o crescimento das demandas e outorgas de bolsas oferecidas por editais para UNIRIO, destacando que a comunidade acadêmica, em especial, a Enfermagem, necessita demandar mais, considerando o potencial da Instituição.2014-05-08_12-39-36_281

Imagem digital de Fernando Porto. Da esquerda para direita: Prof. Dr. Ricardo Silva Cardoso- Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa -, Profa. Dra. Fabiana Barbosa Assumpção de Souza – Diretora de  Pesquisa-, Prof. Dr. Ruy Garcia Marques – Presidente da FAPERJ -, Prof. Dr. Carlos Roberto da Lyra Silva – Coordenador do Curso do PPGENF -, e a Profa. Dra. Teresa Tonini – Coordenadora do PPGENFBIO.

2014-05-08_10-23-08_687 Imagem digital de Fernando Porto – Vista panorâmica dos presentes no evento.

Impacto de programas de lutas adaptadas e de treinamento resistido sobre variáveis relacionadas à baixa densidade mineral óssea de mulheres na pós-menopausa em tratamento farmacológico. Doutor Claudio J. Borba Pinheiro. Defendida em 2013.  Orientadora Profa. Dra. Nébia Maria de Almeida Figueiredo e co-orientador Prof. Dr. Estélio Dantas. Clique ao lado para acessar o resumo: Impacto de programas de lutas adaptadas e de treinamento resistido